Destinos

RELATO: Morar fora é mais difícil do que você pensa!

Comentários(122)
  1. Chilena disse:

    Eu já pensava tudo isso mesmo.
    Minha família já está longe em outro país, então não vai fazer diferença.
    Detesto o carnaval, então pra mim seria ótimo viver sem essa baderna carnal.
    Povo que pensa que vai pra fora e já vai encontrar casa mobiliada pra morar é burro mesmo.
    Já sei bem da realidade, então pra mim não faria diferença.
    Aqui no Brasil já passo aperto mesmo. Poderia passar aperto fora também

    1. Giovanna Ferraz Borges disse:

      Olá Chilena,
      Muito obrigada pelo comentário! 😉

      1. Dieme disse:

        Ola, tu es à escritora???

        1. Giovanna Ferraz Borges disse:

          Olá Dieme! Sou jornalista! Quem sabe um dia escritora também…

  2. Priscila disse:

    Muito verdadeiro e lúcido o seu texto.
    Quantas vezes penso que se estivesse no Brasil o esforço seria imensamente menor simplesmente por estar resolvendo os problemas na nossa língua materna.
    Obrigada.
    Vou aproveitar e compartilhar na nossa página.

    1. Giovanna Ferraz Borges disse:

      Olá Priscila,
      Muito obrigada pelo comentário e por compartilhar o meu texto! 😉

  3. Vilma disse:

    Parabéns pelo texto, imagino cada momento seu, e penso em todas as questões citadas, parabéns por quem você é hoje.

    1. Giovanna Ferraz Borges disse:

      Olá Vilma,
      Que querida!
      Muito obrigada pelo comentário! 😉

  4. Telma Isabel disse:

    Parabéns pelo seu depoimento! Ele reflete plenamente seu sentimento e abre espaço para que cada um busque o seu caminho!

    1. Giovanna Ferraz Borges disse:

      Olá Telma,
      Torço para que todo mundo sempre encontre o seu caminho, seja ele onde for.
      Muito obrigada pelo comentário! 😉

      1. Wilson disse:

        É com lágrimas nos olhos, você conseguiu expressar o que sinto e motivar me para superar essas dificuldades.
        Deus a abençoe.

        1. Giovanna Ferraz Borges disse:

          Oi Wilson,
          Obrigada pelo comentário! Fico feliz que você gostou do meu texto!
          Abraços

  5. Andrew Marcelo Fernandes disse:

    Parabéns pelo seu texto, estou morando fora a 3 meses e me identifiquei, como acho que todos que sai de seu pais irá se identificar.

    Um grande abraço que Deus abençoe sua caminhada.

    1. Giovanna Ferraz Borges disse:

      Olá Andrew,
      Muito obrigada pelo comentário!
      Deus te abençoe também! 😉

      1. Rejane Brum disse:

        Oi Gio, texto lindo que nos faz repensar sobre a coragem de enfrentar desafios. No meu caso a saudade é do filho que partiu pra deixar a zona de conforto, ele mesmo me enviou seu texto.
        Só posso parabenizar a todos que como vc tiveram a coragem de reinventar a própria história.

        1. Giovanna Ferraz Borges disse:

          Olá! Que comentário lindo!
          Obrigada pelo carinho 😉

  6. disse:

    Lindo texto. Concoro mil porcento. Tenho alguem especial morando fora e a preocupacao é constante, principalmente com a saude mental. Estar longe é ruim para os dois lados e para quem esta la, a dificuldade do desconhecido é vem pior. Adorei a frase “morar fora é desapegar”. Sim, desapego total, abrindo-se para o novo.

    1. Giovanna Ferraz Borges disse:

      Olá Jô,
      Muito obrigada pelo comentário! Adorei saber o seu feedback 😉

  7. Serginho Max disse:

    PERFEITO! Uma experiência pessoal que cabe a Todos.

    1. Giovanna Ferraz Borges disse:

      Olá Serginho,
      Muito obrigada pelo comentário! Adorei saber o seu feedback 😉

  8. Susana disse:

    Parabéns Giovanna !
    É tudo isso mesmo!
    Coragem , força e muita persistência ❤️
    Sempre seremos imigrantes , porém , sempre com tanto orgulho de seguir sempre em frente !
    Quem não tenta não sabe como é !
    Me vi em todas suas palavras!
    Vamos que vamos !
    Su

    1. Giovanna Ferraz Borges disse:

      Olá Susana,
      Sigo sua página no Facebook e fico com água na boca com as suas delícias!
      Muito obrigada pelo comentário! Adorei saber o seu feedback 😉
      Vamos que vamos!

  9. Melissa Mandaloufas disse:

    Parabéns adorei!

    1. Giovanna Ferraz Borges disse:

      Olá Melissa,
      Muito obrigada pelo feedback!

      1. Ireni disse:

        Olá Geovana o seu texto diz a realidade de quem sai do seu país pra enfrentar a vida em outro país como vc disse não e mesmo nada facil moro a 18 anos na Austia nunca conceguir me acostumar,a saudade do nosso país e de nossos parentes e tão grande que chega a doer .

  10. Karla Fonseca disse:

    Nossa, é tudo isso é muito mais! Descobrimos que temos uma força inigualável para enfrentar o que vier pela frente,!! Todo dia é um novo dia!! Parabéns pelo texto , e te digo, fui as lágrimas lendo ele, porque me passou um filme da minha trajetória de imigrante!! Somos corajosos por ter feito essa escolha!! Abraços!

    1. Giovanna Ferraz Borges disse:

      Olá Karla,
      Muito obrigada pelo comentário! Adorei saber o seu feedback 😉
      E sim, somos muito corajosos! Vamos que vamos!

  11. Marta Figlioli disse:

    Fantástico relato Giovanna!!!! Posso te garantir que muitos brasileiros estão/estarão se identificando com seu relato. Já estou fora do Brasil há 30 anos e posso me identificar perfeitamente com o que você descreveu. Abraços e boas aventuras.

    1. Giovanna Ferraz Borges disse:

      Olá Marta,
      Muito obrigada pelo comentário! Adorei saber o seu feedback 😉

  12. Marcos Valadares disse:

    Eu sou a essência deste texto. Sai da minha zona de conforto em 1969, com 19 anos e fui direto para o Canadá, sozinho e minha confiança.
    Hoje, no auge dos meus 67 anos, continuo a desbravar este mundo. Sinto em casa em vários países das Américas, Europa, Ásia, Oceania. Sempre “by myself “. Sinto-me um ser humano altamente independente em todos os sentidos .
    O importante é Vc ter uma história de sucesso pra contar para os seus..

    1. Giovanna Ferraz Borges disse:

      Olá Marcos,
      Muito obrigada pelo comentário! Adorei saber o seu feedback e experiência de vida 😉
      Que delícia ter viajado tanto!!!

  13. Gabriela disse:

    Me sinto muito representada e emocionada com esse texto.

    1. Giovanna Ferraz Borges disse:

      Olá Gabriela,
      Muito obrigada pelo comentário! Adorei saber o seu feedback 😉

  14. Celia disse:

    Concordo plenamente com o seu texto. O que me fez meditar foi que quando morávamos no Brasil e vimos e convivemos com muitos imigrantes vindo do Japão, Coreia, Itália, nunca nos ocorreu que fosse tao dificel se adaptar a uma nova terra,cultura e costumes.

    1. Giovanna Ferraz Borges disse:

      Olá Célia,
      Realmente, nunca é fácil se adaptar!
      Muito obrigada pelo comentário! Adorei saber o seu feedback 😉

  15. MARIA CRISTINA Fragale Pate disse:

    Muito bom relato da experiência. Incentiva , anima e tranquiliza a muitos. Tenho uma filha morando fora e sobrinhos tb. Foi bom ter lido isso. Acslma o coração e prepara a pessoa pra essa empreitada. Abçs

    1. Giovanna Ferraz Borges disse:

      Olá Maria Cristina!
      Obrigada pelo comentário e feedback 😉

    2. Giovanna Ferraz Borges disse:

      Olá Maria Cristina,
      Obrigada pelo comentário e feedback! <3

  16. Alex disse:

    Vc descreveu minha vida e da minha esposa! Desapegar é-a palavra do dia- dia aqui em casa!!

    1. Giovanna Ferraz Borges disse:

      Olá Alex,
      Obrigada pelo comentário! Com certeza, desapegar é preciso!

  17. Belquiria disse:

    Giovanna,
    Me identifiquei, mas não custa lembrar que no total geral, estamos mesmo ganhando, e muito.
    O recomeço nos dá oportunidade de reconhecermos nossos erros, nossos apegos, nossos preconceitos, nossos medos, nossos valores mesquinhos, nossa pobreza de espírito. Conhecer o NOVO, totalmente diferente de mim, me fez uma pessoa melhor, e uma cabeça, uma vez aberta, jamais se fecha. Tudo é possível, e fica fácil, se mergulhar de cabeça. Obrigada. Compartilhando em 3, 2, 1…

    1. Giovanna Ferraz Borges disse:

      Olá Belquiria,
      Obrigada pelo comentário! Com certeza, no fim, a gente só ganha em viver tudo isso!

  18. Mariana disse:

    Texto maravilhoso ! É exatamente o que vc escreveu sem tirar e nem colocar nenhuma palavra, as pessoas tem uma falsa ilusão de que uma vez que vc saiu do Brasil sua vida é um mar de rosas…
    mas como vc mesmo mencionou, só quem passou ou está passando pela situação sabe como é .

    1. Giovanna Ferraz Borges disse:

      Olá Mariana,
      Obrigada pelo comentário! Com certeza não é um mar de rosas e só quem mora fora sabe, mas no fim tudo vale a pena!

  19. Roberto disse:

    Parabéns pelo texto.
    Conheci o Canadá no ano passado e fiquei encantado com a qualidade de vida. Sempre que conheci outros país com uma qualidade de vida melhor que o Brasil, eu penso em como seria morar, pois uma coisa é visitar e passar férias e outra seria morar, trabalhar…
    Tenho pesquisado muito sobre o Canadá, lendo, ouvindo…mas nunca me iludi que seja uma mudança fácil.
    Cada uma tem uma história e realidade. No meu caso, eu e minha esposa temos estabilidade no emprego, uma vida financeira razoável, mas até hoje não me acostumei com muitas coisas que vivencio aqui no Brasil. Além disso, quando penso nos meus filhos, fico preocupado.
    A questão é: ter um relativo conforto, não sou rico, mas também não posso reclamar de condições financeiras, e viver num Brasil que todos conhecem. Ou largar tudo para recomeçar a vida com todas as dificuldades, que você já levantou
    muito bem, em busca de uma qualidade de vida para mim e para minha família.
    A decisão é difícil, mas atualmente, não tiro essa vontade de ir para o Canadá da cabeça.

    1. Giovanna Ferraz Borges disse:

      Olá Roberto,
      Obrigada pelo comentário! Com certeza! Sair do Brasil é uma decisão que precisa ser muito bem pensada, mas se vocês pesquisarem direitinho e tiverem coragem de arriscar, tenho certeza que todo o aprendizado será único e inesquecível!

  20. Graciela disse:

    Ameiiiii amei e amei esse textão!
    Concordo com tudo isso.

    Incrível como a vida é louca e maravilhosa ao mesmo tempo.

    1. Giovanna Ferraz Borges disse:

      Oi Graciela!
      Obrigada pelo comentário e feedback <3

  21. Priscilla Figueiredo disse:

    Tô fazendo meu período de doutorado sanduíche, me faltam apenas 2 meses para voltar para o Brasil, mas hoje fui deixar a minha irmã que veio passar as férias aqui comigo no aeroporto e chorei o dia todo. É isso aí mesmo que você falou, a realização do sonho, o auto-conhecimento, as alegrias que passo aqui não anulam a saudade e a falta das pessoas que eu amo. Esse texto foi incrível! Obrigada!

    1. Giovanna Ferraz Borges disse:

      Oi Priscilla,
      Obrigada pelo comentário e por compartilhar esse sentimento por aqui!

  22. Leda Mesck disse:

    Nossa !
    Been assim mesmo!
    Estou for a do Brasil a 40 anos .
    Nao sei onde é meu Lugar mais.

    1. Giovanna Ferraz Borges disse:

      Oi Leda!
      Obrigada pelo comentário!

  23. Caroline disse:

    Que bom que alguém publicou algo que inutilmente tento passar para as inúmeras pessoas que me perguntam “por que vc voltou para o Brasil?”; “ Como assim, vc não gosta de morar fora?”. E ainda complementam “ eu daria tudo para morar lá”.
    A única coisa que não consegui seguir no texto é o amor por morar fora. Já tive duas experiências e nunca consegui desenvolver esse sentimento. A dor é maior do que qualquer sentimento mais positivo.

    1. Giovanna Ferraz Borges disse:

      Oi Caroline,
      Eu amo morar fora, mas não posso afirmar que é tudo lindo, assim como morar no Brasil não é também. Nenhum lugar é perfeito, mas o brasileiro acha que no exterior é mais fácil.
      Nem sempre a gente se adapta, né? O importante, no fim, é estar feliz.

  24. Debora Pedroni disse:

    Exatamente! Que texto completo! Parabéns!
    Só quem está do lado de cá sabe quem o que é esse profusão de sentimentos, não é verdade?

    1. Giovanna Ferraz Borges disse:

      Oi Débora!
      É verdade, sem dúvidas!
      Obrigada pelo comentário.

  25. Rita Oliveira disse:

    Emigrante desde cedo, meus pais emigraram para Brasil quando eu tinha 2anos,me casei com um engenheiro e aos 25 anos saimos do Brasil, moramos em muitos países, minha filha cresceu cigana, fala 4 línguas e agora foi ela que voou, vive no México e nós no Perú… E além de tudo aquilo que voce bem descreveu, acrescento, que por mais que voce aprenda a nova língua sempre haverá dificuldades de compreensão e comunicação, a cultura é outra, as vivencias são outras, os traumas são outros, eles nunca nos entenderam por completo e nós nunca sentiremos as coisas nem pensaremos exatamente como eles… Todos os dias é um exercício de convivencia… Sucesso para voce!

    1. Giovanna Ferraz Borges disse:

      Olá Rita,
      Obrigada pelo comentário! Com certeza! As dificuldades são muitas e variadas. Para uns a língua não é um problema, para outros a cultura é… E assim vai! No fim, a gente coloca tudo em uma balança, junta força e decide se vale a pena. E no fim, tudo vale!

  26. Isis disse:

    Moro há 19 anos do outro lado do mundo e demorei 13 para realmente gostar daqui, durante esses 13 anos, 5 eu vegetei pensando só no Brasil e os outros 8, tentando me “enganar” pensando q já gostava daqui até q um dia parei no farol e pensei “o q estou fazendo aqui?”, qdo voltei pro Brasil a passeio, foi tudo muito bom, mas já não sentia que estava em casa, percebi q todas as lutas, os sofrimentos no país q “não era meu” me moldaram de uma forma q “voltar pra casa” já não era mais possível! Hj estou com a consciência tranquila aqui, já me sinto em casa e apesar da língua ainda ser uma barreira, essa barreira está a cada dia, diminuindo!
    Me identifiquei com o texto, apenas aqueles q moraram fora entendem q todos esses sofrimentos, batalhas, desafios irão te fortalecer no futuro! Hj tenho orgulho da vida e da família q construi “morando fora”!

    1. Giovanna Ferraz Borges disse:

      Olá Isis,
      Obrigada pelo comentário! Que trajetória de vida legal! Com certeza tudo isso te fortaleceu e te enche de orgulho!

  27. FerFla disse:

    Parabens pelo testo !
    Somente uma gota, na vastidão de motivos e razões, cuja as quais, muitos deixaram a pátria amada, a familia amada, e a etc. amada, para tentar uma vida (menos ruim) . Ser imigrante, e’ muito desgastante e humilhante, ate’ voce ter um status “legal” onde quer que estejam. O Ser humano tem dificuldades para aceitar o outro ser humano e auxiliá-lo.
    Mas se você se apresenta como um gato ou cachorro, tudo muda de cenário.

    1. Giovanna Ferraz Borges disse:

      Olá FerFla,
      Obrigada pelo comentário e feedback!

  28. Roberto disse:

    Parabens pelo texto . Muito verdadeiro. So acho que ele esta mas direcionado para pessoas mais velhas, porque os jovens nao tem muitas preocupacoes com o novo. Com as mudancas.
    Ao contrario fica deslumbrado com as novidades. E se nao der certo eles tem tempo e podem recomecar ate no Brasil.

    1. Giovanna Ferraz Borges disse:

      Olá Roberto,
      Obrigada pelo comentário!
      Eu tenho 25 anos e escrevi esse texto! Acredito que não há idade para encarar mudanças e viver tudo descrito no texto, quando se tem em mente um objetivo e propósito no exterior. Inclusive, muitas amigas minhas, da mesma idade ou até mais novas, se identificaram.
      Abraços!

  29. Paulo disse:

    Duro mesmo é voltar para passar férias e ficar ouvindo críticas de brasileiro rico: “O quê? Você não ficou milionário ainda? Trabalhando 35 horas por semana sob um chefe carrasco? Então não vale a pena ir morar fora do Brasil. Você fez besteira e estragou sua vida. Eu estou estável no governo, trabalho só 4 horas por semana e faço dez mil $ por mês aqui no Brasil. Muito melhor que enfrentar aquela m… branca de neve.”

    1. Giovanna Ferraz Borges disse:

      Oi Paulo,
      Pois é, nunca é fácil receber esses comentários, mas no fundo, só a gente sabe o quanto estamos felizes onde estamos, né?
      Abraços!

  30. Sabrina Silva disse:

    Excelente texto! ❣️

    1. Giovanna Ferraz Borges disse:

      Oi Sabrina,
      Obrigada pelo comentário!

  31. Adao Borges disse:

    Excelente texto. Realmente a sensação é está mesmo. E pensar que muitos que ficaram imaginam que estamos em um mar de rosas, muito dinheiro, vida boa, etc…
    Ledo engano! Sinto muita saudade da família, dos amigos do meu cão.
    Mas sei que em breve retornarei e procuro absorver as coisas boas que conheci e estou aprendendo.
    Mas te confesso que realmente não é fácil!

  32. Erika Campbell disse:

    Me emocionei com seu texto! Só faltou falar da “família de amigos” que fazemos quando estamos fora…

  33. Laila Vanuiri disse:

    Me reconheci no seu texto, é exatamente assim. Muitas pessoas acreditam que é só alegria, que tudo é um mar de rosas, mas nem imaginam o que é passar por isso. Mais ainda bem que com o tempo tudo se resolve, aprendemos a lidar com as diferenças. Adorei o seu artigo ❤. Congratulations !!!

  34. Angelita Rios Da Silva disse:

    Esse texto me representa Giovanna , é perfeito , me identifico com tudo o que escreveu !! Moro há mais de 20 anos na Itália com meu esposo ! E posso assegurar que não é fácil viver fora do País, muitas e muitas dificuldades para encontrar um “lugar ao sol ” , mas é a melhor escola da vida ❤! Aonde você aprende a dar valor às pequenas coisas !! ❤ !! Bjos e seja feliz

  35. Sheila disse:

    Chorei junto as suas dores e suas alegrias….
    Traduzistes em palavras todas as vivências que tive neste 1 ano (completados dia 02.02) a viver em Portugal.
    Se precisar de um ouvido, me disponho a ouvir e falar com você, se assim desejar.
    Exatamente como você falou…
    Acreditar que tudo vai dar certo e que a experiência vale toda a caminhada!

  36. Livia Takano disse:

    O texto mais completo e verdadeiro que retrata exatamente como é a vida lá fora!
    Perfeito!!!

  37. Angélica disse:

    Olá Giovanna, compartilho do mesmo pensamento e morando fora. ( essa é minha segunda experiência) em países com idioma difícil, burocracia e mais burocracia… sei bem o sentimento desesperador que bate, mas a vontade de superar é maior.
    Beijo grande e muito sucesso para todos nós brasileiros que vivemos longe do Brasil.

    1. Giovanna Ferraz Borges disse:

      Oi Angélica,
      Obrigada pelo comentário! Com certeza, a vontade de superar é sempre maior!
      Um beijão!

  38. Camila disse:

    Moro no exterior mas estou no Brasil porque engravidei e não pude viajar de volta. E agora que tenho que voltar , choroooo! Não quero de jeito nenhum! Morar fora é gostoso, mas como vc disse, tem todos os seus perrengues que só quem mora fora conhece. E um deles é realmente viver longe de quem amamos, mesmo que a gente se acostume, quando reencontra, não dá a menor vontade de voltar!

    1. Giovanna Ferraz Borges disse:

      Oi Camila,
      Obrigada pelo comentário!
      Quando a gente se sente dividida assim, nós precisamos repensar se vale a pena morar fora! Coloque tudo em uma balança porque no final das contas, a gente precisa ser feliz!
      Abraços!

  39. Sheila Travelstead disse:

    Obrigada por expressar tão bem meus sentimentos, tenho vivido há um ano fora e tem sido um enorme desafio recomeçar a vida aos 42 anos, depois de uma carreira super sólida, ter que me ver estudante novamente…. bjs

    1. Giovanna Ferraz Borges disse:

      Oi Sheila,
      Obrigada pelo comentário! Siga firme!
      Abraços!

  40. Lidiane disse:

    Perfeito Giovanna! Tudo que escreveu me representa!

    1. Giovanna Ferraz Borges disse:

      Oi Lidiane,
      Obrigada pelo comentário! Fico feliz que você gostou do meu texto!
      Abraços

  41. Leonardo Alfonso Ramos disse:

    Olá Giovanna!!
    Seu texto é incrível!! Excelente!
    Sintetizou com plenitude.
    Eu moro fora também e me identifiquei com 100% do texto. Cada palavra.
    E me confortou também, pq é sempre bom ouvir / ler relatos realísticos e entender que temos várixs parceiros desse desafio sem saber!
    Obrigado pelo texto! Já está compartilhado!
    Continue sempre praticando esse dom que vc tem de escrever!!
    Parabéns!! Pelo texto e pela coragem de enfrentar esses desafios! ❤️

    Grande beijo!

    1. Giovanna Ferraz Borges disse:

      Oi Leonardo,
      Obrigada pelo comentário! Fico feliz que você gostou e se identificou com o meu texto!
      Beijos!

  42. Li seu texto pq uma grande amiga compartilhou na timeline dela e achei o máximo! Super me identifiquei com seu texto sem mesmo ainda ter me mudado para outra cidade não é nem para outro país (rs). Apesar de já ter feito inúmeras viagens ao exterior e, independente de idade, nunca me identifiquei com nenhum país e/ou cidade, que eu plenamente pensasse ‘ah é aqui q vou ficar.’ De boas, qdo a gente viaja para o exterior e fica um bom tempo já dá uma vontade imensa de voltar. Em muitas cidades que passei já senti um certo pré conceito de ser brasileira, por fatalmente já achar q vc não tem dinheiro e por vir de um país dito como ’em desenvolvimento’, que hoje se conhece muito mais pela desigualdade social, escândalos políticos, desvios de verbas, guerra civil e crescente número da misoginia e inúmeros outros ‘nobres’ acontecimentos que nos colocam nas manchetes internacional. Não tem como pensar que morando fora será tudo mais fácil, mta inocência, pura ilusão pensar assim, Morar fora é certamente renascer das cinzas! Sair zona de conforto não é para qq um, seja para morar fora ou por qual outro motivo que te traga o desconhecido. Tenho inúmeros amigos que moram fora e sinto o qto é difícil … Mas vejo por outro lado, tb, sim o Brasil é sua nação, mas pensando bem, colocando tudo na balança, aqui vc só vai ter o conforto emocional (não digo só de forma pejorativa, mas grandiosa), conforto familiar, pq vivemos uma situação de descaso total, onde só temos deveres e não usufruímos de nossos direitos. A realidade daqui é bem triste e cruel. Violência cada vez mais crescente. Poder paralelo tomando força por conta de um estado omisso. Mas é bom às vezes confrontar as certezas criadas, sair da zona de conforto e gritar para o universo: Uau, EU NÃO SEI DE NADA e se, abrir para o novo, Boa sorte 4U , 4all , 4Us!

  43. Kleber disse:

    Na minha experiência, morar fora não é o mesmo que imigrar.

    Morar fora é algo de tempo determinado, como por exemplo para estudar ou ter uma experiência no exterior. Isso é mais fácil de lidar.

    Imigrar significa olhar para o novo país como a sua nova pátria, absorver a cultura local e se integrar nela. Foi o que fizeram vários dos imigrantes europeus no Brasil.

    É esse aspecto da imigração a que nem todos estão dispostos ou são capazes de se adaptar. Há quem volte para o Brasil ou passe uma boa parte de sua permanência aqui em Toronto fazendo comparações com o Brasil ou queixando-se do Brasil que não existe aqui.

    Para mim, a imigração (e a integração) começa pela língua local. Usá-la a maior parte do tempo, assistir programas e ler jornais locais ajuda bastante nesse processo.

    A grande evidência de se ter realmente imigrado é quando vai-se de férias ao Brasil e sente-se saudade “de casa”.

    Um bom dia a todos.

    PS: Graças ao Whatsapp, falo por vídeo com os meus familiares lá com muita freqüência. Já até “almocei virtualmente” com a minha mãe por mais de uma vez.

  44. Cibele disse:

    Parabéns pelo texto Giovanna! Só entende essa realidade quem mora fora e tem que caminhar com as próprias pernas, por no mínimo 1 ano…
    No começo tudo é maravilhoso, novidades, lugares para se explorar, achamos que tudo será fácil e ficamos com aquela frase feita para os que reclamam: se é ruim, porque não volta! Mas então o tempo passa e as dificuldades por sermos um recém nascido com corpo de adulto aparecem e ficam nos assombrando por um bom tempo. Temos que provar o tempo todo não apenas que somos melhores profissionalmente, mas também como simples seres humanos, honestos e bons pagadores. Não é nada fácil e muitas vezes bate sim um desespero, principamente quando tinhamos uma carreira já bem estruturada no Brasil. Maaaas, temos que arregaçar as mangas e fazer valer a pena, alguma coisa deve ser colhida e precisamos sempre nos lembrar que, mesmo que as coisas não aconteçam como imaginávamos ou como os outros imaginam, o desafio do desapego total foi superado e o Brasil estará sempre de braços abertos para nos receber.

  45. Nídia Dutra disse:

    Verdadeiro texto, só quem mora longe e larga tudo para trás,sabe oque você está dizendo.
    Mais como você disse um aprendizado enorme

  46. Jodelson disse:

    Parabéns pelo texto Giovanna! Você reuniu muitos detalhes importantes em um único artigo. Gostei muito. Na minha opinião e considerando o meu caso, só ficou faltando referência à importante barreira do idioma. Por mais que você tenha adquirido conhecimento do idioma estrangeiro antes de ir morar fora, a realidade do dia a dia é um desafio à parte.

  47. Ramon C Rocha disse:

    Simplesmente fantástico! Sintetizou TUDO!
    Parabéns pelo texto!

    1. Giovanna Ferraz Borges disse:

      Oi Ramon,
      Obrigada pelo comentário! Fico feliz que você gostou e se identificou com o meu texto!
      Beijos!

  48. Marinez Pontes disse:

    Parabens, Giovanna, é tudo isso que você relatou e mais um pouquinhooooo rsrsrs! Abraço!

    1. Giovanna Ferraz Borges disse:

      Oi Marinez,
      Obrigada pelo comentário! Fico feliz que você gostou e se identificou com o meu texto!
      Beijos!

  49. Fred disse:

    Ótimo texto, serve para abrir os olhos de muitos que querem essa experiência mas não estão preparados. E sim, vai fazer uma diferença enorme para muitos, até mesmo para mim que estou programando minha imigração! Parabéns

    1. Giovanna Ferraz Borges disse:

      Oi Fred,
      Obrigada pelo comentário! Fico feliz que você gostou do meu meu texto!
      Beijos!

  50. Cindy disse:

    A vida eh feita de escolhas e qdo vc escolhe andar p frente inevitavelmente vc está deixando algo para trás. Conheço vários que moram no exterior e choram todo dia e vivem miserável aí eu me pergunto: a menos q vc mudou de país obrigado e contra sua vontade, vc não pode ter essa atitude se VC fez essa escolha.
    Conheço muitos felizes por ter saído do Brasil, eu inclusive. Sim existem altos e baixos mas existiriam também no país de origem.
    Também sempre digo que se vc não está bem com vc mesmo e psicologicamente vc esta mal, mudança de País só vai fazer piorar sua situação pq qdo vc mora fora você se redescobre e vc entra em contato com seu EU interior, nesse ponto, se vc nao esta mentalmente preparado vc vai falhar e não precisa nem mudar de país, basta mudar de bairro! Pessoas deveriam pensar nisso também pq a mudança de país não apaga problemas passados, só faz camuflar ou trazê-los mais à tona!

  51. Sonia links disse:

    Sempre fui independente. aprendi mora fora estou sem dependência. Emocional essa fez. Sofrer muito não quero nunca mas esse sentimento hoje me basto
    Tive perdas irreparáveis. aprendi ninguém vai sentir nossa dor vivo.. PORTUGAL. com segurança qualidade de. vida com. DEUS muita paz amor. Sempre. Ah muita coragem ATÉ

  52. Alex disse:

    Olha, sinceramente eu não achei nada difícil, pelo menos não nos EUA, trabalho aos montes, plano de saúde gratuito, segurança, poder de compra e qualidade de vida excelentes. Já a distância da família é uma questão a parte, do restante tirei de letra.

  53. Patrícia Martins disse:

    Obrigada por descrever tão bem minha experiência e me dar alívio de saber que existem pessoas que sentem o mesmo. Belo texto!

    1. Giovanna Ferraz Borges disse:

      Oi Patrícia,
      Obrigada pelo comentário! Fico feliz que você gostou e se identificou com o meu texto!
      Beijos!

  54. Melissa disse:

    Nem perdi meu tempo lendo o texto, mas se eu tenho uma certeza, é de que morar em qualquer país desenvolvido é muuuuito mais fácil que morar nesse inferno de Brasil. Não vejo a hora de poder sair daqui e não voltar mais. Nunca consegui gostar daqui. Odeio essa cultura, a música daqui, a sociedade daqui. Estou há mais de três anos desempregada por causa do preconceito que essa sociedade tem com pessoas trans. Duvido que se tivesse morando no Canadá ficaria tanto tempo sem emprego quanto aqui. Se você não está feliz morando fora, então me manda essa oportunidade, pois eu quero muito.

    1. Giovanna Ferraz Borges disse:

      Oi Melissa,
      Que pena que você perdeu seu tempo comentando algo tão sem sentido ao invés de ler e refletir sobre o meu ponto de vista.
      Eu nunca falei que morar em um país desenvolvido é mais difícil que morar no Brasil. Aliás, o texto nem é sobre morar em um país desenvolvido, mas sobre morar fora do Brasil em geral. O meu relato fala das dificuldades que enfrentamos no cotidiano e de situações que vivemos por não estarmos na nossa “zona de conforto”.
      Eu sinto muito pelo preconceito que você sofre no Brasil. É triste demais… Com certeza no Canadá você seria aceita de maneira mais acolhedora.
      Por fim, eu recomendo você ler o texto, pois eu nunca falei que estava triste aqui. Pelo contrário, eu sou muito grata pela oportunidade que eu conquistei. Espero que um dia você consiga ter essa oportunidade também.
      Ah! E fica a dica: Com essa postura negativa, você se sentiria infeliz mesmo no melhor país do mundo. Paz e luz!

  55. Katia almeida disse:

    E verdade tudo na vida tem os por e contras, minha filha mora a 17 anos na Europa e tenho um orgulho enorme disso, e também gratidão aos países que ela conhece ,se formou e trabalha.Porque minha filha e uma profissional, e passou barras, mas manteve a mente naquilo que sempre a criamos ,educação.Mas dizer que é fácil claro que não é.Mais e um futuro melhor p quem tem objetivos e força.

    1. Giovanna Ferraz Borges disse:

      Oi Katia!
      Sim, tudo na vida temos pós e contras! Tenho certeza que estar longe da sua filha é difícil, mas ver ela brilhar te traz toda a paz no coração.
      Muita força pra vocês!

  56. Manuella Nogueira disse:

    Giovanna!
    Você relatou exatamente o que eu sinto e queria poder explicar as pessoas. Parabéns pelas palavra. Compartilhei no meu perfil do Facebook e mandei o link para alguns amigos.
    Vivo em Portugal e vivo tudo isso que você descreveu e mais um pouco! Parabéns pelo texto incrível!!
    Beijos

    1. Giovanna Ferraz Borges disse:

      Oi Manuella,
      Obrigada pelo comentário e feedback <3
      Beijos!

  57. Lenon disse:

    Nossa, vc fez um Resumo de tudo que passei e estou passando morando atualmente fora do Brasil, belas palavras.

    1. Giovanna Ferraz Borges disse:

      Oi Lenon!
      Obrigada pelo comentário e feedback!
      Abraços!

  58. eduardo lima disse:

    Giovanna bo materia, realmente não é fácil, mas não é impossível. Para obter uma adaptação mais rápida aconselho o desapego a certos hábitos culturais como alimentação por exemplo, não precisa comer exatamente como um local, mas nos supermercados sempre há alimentos comuns ao Brasil, pelo menos nos paises ocidentais. Faça bons amigos brasileiros mas não viva somente entre eles, procure socializar com o povo que está te acolhendo.

    1. Giovanna Ferraz Borges disse:

      Oi Eduardo,
      Eu moro fora há 4 anos! Já estou super adaptada e concordo com as suas dicas. É importante manter certos hábitos brasileiros para que a gente mantenha as nossas raízes, assim como amigos brasileiros. No entanto, viver como um local é importante para que a adaptação seja menos dolorosa.
      Abraços!

  59. Taise disse:

    Só li verdades. Compartilho do mesmo sentimento e sinto orgulho da coragem que tivemos para conquistar novos horizontes. Sucesso na sua trajetória!

  60. May disse:

    Excelente ponto de vista. Parabéns!

  61. Alana Domingues disse:

    Esse é o melhor texto que ja li sobre morar fora e literalmente me representa. PARABÉNS!

  62. Ricardo disse:

    Verdade morar fora é muito complicado.presisa coragem e ao mesmo tempo ser frio para deixar muitas pessoas animais coisas tudo pra traz .a dor é imensa a saudade e a ansiedade te esmaga o coração.e é preciso aprender como se fosse uma criança começando do zero

  63. Elaine disse:

    Parabéns pelo texto Giovana, transmitiu com sensibilidade e clareza o que muitos vivem. Cheguei há 2 meses na Austrália e me vi em muitos pontos realmente é peeciso muito desapego paciência e força para aceitar novo e renascer. Parabens!!!

  64. Jurandir disse:

    Exatamente tuuuuudo verdadeiro seu texto.
    Faço minhas as suas palavras.
    Vc me representou Bravo !!!

  65. Muito bom seu texto, moro na Noruega e me vi em várias situações descritas por você. Até hoje não sei se fui corajoso ou louco por topar uma mudança tão radical mas tenho vencido a maioria dos desafios sendo o mais difícil o emocional, este ainda machuca muito.

  66. Sérgio Junger disse:

    Olá Giovanna,
    Claro, não consegui ler todos os comentários, são muitos.
    Mas o que você escreve em seu “textão” é uma realidade, que também penso assim.
    Entretanto, nunca encontrei ninguém para ser confrontado nos questionamentos e quando confronto, sempre de forma respeitosa e saudável, não tenho retorno, quer dizer, não consigo apreender, pois entendo que é numa boa discussão que aprendemos e crescemos.
    Então, com 50 anos dei uma guinada na minha vida profissional e pessoal, com esposa e um filho (16anos), aconteceu tudo isso que você descreveu, porém, estando no Brasil. Vida nova, pessoas novas, problemas novos, etc… a única real diferença foi a língua, pois até costume e postura tive que mudar.
    Mudou tudo na minha vida…
    Pergunto, será que, assi mesmo, seria tão diferente assim mudarmos para os EUA?

  67. Jaime Filho disse:

    Parabéns por ter colocado sentimentos verdadeiros nas palavras. Palavras verdadeiras fazem diferença na vida das pessoas.
    Minha amiga me enviou seu link, ontem, pq eu achava que estava perdendo a guerra.
    Parabéns, novamente pelos sentimentos expostos!!!

  68. Ana de la cruz disse:

    Tudo isso eu vivi,vivi um pouco de cada coisa ate mesmo o preconceito eu enfrentei.

  69. Da Redação disse:

    Ficamos felizes que gostou. para quem mora fora é fácil se identificar mesmo. Um realidade que só quem passa por isso é capaz de entender e sentir. 🙂

Comente!

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Travelpedia

© Travelpedia 2016-2019 - A veiculação do conteúdo publicado pelo Travelpedia é permitida desde que utilizando o link e dando o respectivo crédito para Travelpedia e o autor da matéria. Textos, fotos, artes e vídeos estão protegidos pela legislação brasileira sobre direito autoral. É crime reproduzir o conteúdo do portal em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem dar o devido crédito ou solicitar autorização.